Testes, qual o futuro no cenário Ágil?

Durante o evento do Agile Trends que ficou gritante o desconhecimento sobre em qual momento o testes devem ser efetivos numa equipe agilista. A pergunta foi entoada algumas vezes para diversos palestrantes e a resposta foi assustadoramente comum, os testes se mantem no modelo cascata.

O que chega a assustar é que mesmo os profissionais especializados em testes, não sabem identificar suas atividades, quando devem começar e até onde devem contribuir.

No modelo cascata (waterfall), o testes somente são a execução de uma determinada funcionalidade após o seu desenvolvimento ser tido como completo, ficando para o final da fila e com um tempo extremamente apertado e se trata de uma busca incansável por erros e inconformidades.

Quando espera-se que um Analista de Testes participe ativamente desde o desenho dos requisitos, participe e opine na arquitetura, auxilie dentro da suas capacidade e conhecimentos em testes de unidade. Seja capaz de analisar cenários, além do convencional, além do funcional, ser capaz de pensar em cenários que coloquem em risco a segurança de acesso de um sistema por exemplo e também, por quê não, ser capaz de automatizar desde testes funcionais até testes de carga e desempenho.

O papel do Teste numa equipe Ágil, precisa ir muito além de uma planilha em Excel ou de cenários dentro de uma ferramenta como o Testlink. A qualidade tem de ser atestada e assegurada desde os primeiros momentos de um projeto de desenvolvimento. E necessita deixar de ser foco para uma automação, essa por sua vez deve ser complemento.

Mesmo assim muito se fala em QA DevOps, QA Técnico, Analista Automatizador, mas o que precisa se ter em mente que numa leva Ágil, o Teste é parte integrante e ativa de uma equipe de desenvolvimento, onde sua voz é e deve ser ativa, onde sua contribuição deve ser vista para evitar inconformidades e não achar o maior número de erros.

Em um outro artigo lido, o autor descreve o cenário de uma empresa onde o grande número de erros se acumulam em numa fila de itens a serem corrigidos, isso significa uma demanda de gastos com correção quase incalculável e isso acaba sendo visto como algo natural, onde quanto maior a quantidade de erros encontrados, maior é a eficiência de uma equipe de testes.

Testes que se considera Testes, deve trabalha em parceria com sua equipe, visando garantir que o sistema é de boa qualidade e de confiança.

Dentro do Ágil, precisa ser visto que não existe distinção entre as equipes, que não existe a ‘equipe de desenvolvimento’ ou a ‘equipe de testes’, as que sim existe a equipe do produto.

Links Relacionados:


Artigo publicado originalmente no portal O Tapioca.